A Célèbre comemorou um ano, com degustação no espaço “Ville du Vin”

por Redação.

29/10/2017 19:25:00
 
A Célèbre festejou um ano com uma degustação muito especial, selecionando rótulos muito especiais entre os mais de 45 oferecidos no catálogo, do novo e do velho mundo, no espaço Ville du Vin, no Itaim Bibi.
 
 
Nas palavras do seu fundador, Luiz Gonik: "A Célèbre proporciona experiências e momentos para unir as pessoas, tornando a vida ainda mais especial. Por isso que nos consideramos uma empresa focada não só na venda de vinhos, mas também na promoção de sua cultura".
 
 
Dentre os rótulos degustados, destacamos dois do Velho Mundo, um de Portugal e outro da Espanha.
 
Covela rosé, safra 2015
 
Considerado por muitos críticos, o melhor Rosé de Portugal, este vinho feito com Touriga Nacional é elegante, delicado, gastronômico e de muito frescor.
 
De coloração rosa claro, pendendo para salmão e aroma intenso, floral e delicado, com notas de flor de laranjeira e violetas. No paladar é seco com uma acidez muito bem equilibrada. Cremoso, excelente aroma de boca, final longo e elegante.
 
É um vinho gastronomicamente versátil, ideal para refeições e outros momentos de verão, ao ar livre, à beira-mar e sempre em boa companhia.
 
Chianti Da Vinci, DOCG, safra 2015
 
A região de Chianti, na Itália, produz vinhos sabidamente incríveis e de qualidade superior. Dentro disso, há um tipo de selo chamado "DOCG" (Denominação de Origem Controlada e Garantida) que apenas 73 vinícolas no país inteiro, por lei, podem utilizar. É o mais alto patamar de qualidade entre os vinhos italianos!
 
A região vinícola conhecida como Chianti está localizada na famosa Toscana, uma das regiões mais belas, ricas e cultas da Itália.
 
Saindo das inebriantes cidades renascentistas de Florença ou Siena, e dirigindo-nos ao campo, já se consegue apreciar paisagens de tirar o fôlego! Entre ciprestes, oliveiras, rochas e bosques, é muito fácil imaginar-se em um filme... Aliás, muitos já foram rodados por lá, a exemplo de "Sob o sol da Toscana", "O paciente inglês", e "Chá com Mussolini".
 
Esse Chianti apresenta uma cor rubi intensa e aromas de frutas negras aliado a especiarias e um toque herbáceo, este blend de Sangiovese e Merlot é equilibrado, persistente e muito elegante. Mostra todo o potencial que a região possui na produção de vinhos.
 
Vai bem com: massas ao molho de tomate, ossobuco e bolonhesa. Acompanha bem também carnes de panela e assados.
 
 
Parabéns à Célèbre e um brinde por muito mais anos!
Marcio Morena/Enófilo

GRAÇA DI NAPOLLI * PIZZARIA * SANTANA/SP

por Luis Guilherme Zenga.

03/09/2017 18:15:00
 
A Graça di Napolli recebeu a imprensa especializada em gastronomia para degustar as novidades da casa e o lançamento das pizzas assinadas pelo chef Rodrigo Oliveira no aniversário de 3 anos da pizzaria. A casa convidou o chef dos restaurantes Mocotó e Esquina Mocotó, clássicos da Zona Norte, para criar pizzas com um toque de brasilidade, dentre as novidades apresentadas: Carne-de-sol, pimenta dedo-de-moça, queijo coalho, cumaru e caju flambado na cachaça branca que são as escolhas do premiado chef Rodrigo para celebrar os três anos de sucesso da pizzaria Graça di Napolli, em Santana.
 
napoli.jpg
napoli1.jpg
 
A pizzaria ganhou prêmio Gula 2015 de melhor pizzaria do Brasil e o título de melhor de São Paulo, segundo o júri da edição Comer & Beber 2014, da Veja São Paulo. O chef, outro ícone da gastronomia na Zona Norte, aposta em ingredientes autênticos e sabores bem brasileiros, que ficarão disponíveis na casa, em clima de “festa”, por tempo limitado, até 30/setembro/17. As pizzas foram degustadas pela imprensa e as opiniões foram unânimes de quanto a novidade é boa e especial! 
 
Com uma culinária autoral e feita com alma, o chef Rodrigo Oliveira, vencedor da categoria Chef do Ano, pela Veja Comer & Beber de 2014 e eleito um dos 100 brasileiros mais influentes da década, pela revista Época, dentre outros prêmios, agrega aos novos sabores práticas que já fazem sucesso em seus restaurantes: uma cozinha simples, inventiva, sem grandes releituras e comprometida com suas origens, no sertão pernambucano. A carne-de-sol e o caju, alimentos típicos do Nordeste brasileiro, são os ingredientes principais dos novos sabores de pizza que o chef criou exclusivamente para o aniversário da pizzaria Graça di Napolli.
 
Inspirada em um dos pratos clássicos do Mocotó, a bruschetta de carne-de-sol com queijo coalho servida no pão de fermentação natural, a Pizza de Carnede-Sol, com 8 pedaços e com 4 pedaços) leva em sua composição manteiga de garrafa, alho batido, carne-de-sol artesanal, queijo coalho, pimenta dedo-de-moça, pimenta Cambuci, tomate, cebolinha e queijo branco. Não bastasse a deliciosa mistura de sabores e texturas contemporâneos, há, ainda, um leve toque de pesto de coentro, colocado por cima, já na fase de finalização, o que garante um sabor a mais.
 
A carne-de-sol é preparada no Mocotó. Diferentemente da carne-seca tem menos sal e menos tempo de desidratação, técnica trazida pelos portugueses.
 
No processo de cura, as enzimas da própria carne a amaciam e potencializam seus sabores. Apesar do nome, não é exposta ao sol, mas em ambiente refrigerado por alguns dias. ‘’A ideia de adaptar um dos clássicos da casa para a pizza de carne-de-sol se alia ao conceito da Graça di Napolli de fornecer uma alta gastronomia com ingredientes de preparo artesanal e massa caseira. O maior desafio foi equilibrar todos os elementos para que a massa e o molho da pizza, que são muito especiais, também pudessem brilhar. Como apreciador de 2 pizzas, adoro quando o chef pizzaiolo entende que a massa é tão importante quanto o recheio’’, completa o chef Rodrigo Oliveira.
 
Para adoçar, a segunda opção é a pizza Caju Amigo com 8 pedaços e com 4 pedaços), inspirada no drinque criado pelo barman Guilhermino Ribeiro dos Santos, do tradicional bar Pandoro, em 1974, símbolo da boemia paulistana. Preparado com cachaça ou vodca, gelo e a fruta inteira em um copo longo, o drinque faz sucesso até hoje. Prova disso, é a inspiração de Rodrigo ao adicionar à pizza diferentes texturas do fruto. Composta de creme de cumaru (semente típica da região Amazônica), caju flambado na cachaça branca, doce de caju, castanhas-de-caju torradas e folhas de poejo (uma espécie de hortelã, uma PANC, planta alimentícia não-convencional), a pizza Caju Amigo garante um toque adocicado na medida certa e um sabor simpático, como sugere o nome.
 
napoli2.jpgnapoli3.jpg
FOTOS|Mario Rodrigues
 
Tudo isso com azeites especiais. A Graça di Napolli foi pioneira na cidade ao lançar cardápio harmonizado com os melhores rótulos de azeite do mundo, sob
a curadoria do azeitólogo carioca Marcelo Scofano, provador internacional formado em elaiotecnia pelo Instituto de Formación y Investigación Agraria y Pesquera, de Andaluzia (Espanha), professor do Senac-Rio, Ecochef do Instituto Maniva e colaborador do livro Um Fio de Azeite (Ed. Senac). No cardápio, ao lado de cada sabor, há sugestões variadas de harmonização com diferentes rótulos, que se dividem em: clássicos, orgânicos, extravirgens e aromatizados, com notas florais ou frutais na composição. A carta traz diferentes rótulos, de origens como Chile, Uruguai, Portugal e Sicília (Itália).
Entre um sabor e outro, é possível observar a produção das pizzas às vistas dos clientes, em forno de 5,5 m de altura – atrativo que consagrou a casa como destino obrigatório da zona norte durante três anos.
 
Sobre o chef Rodrigo Oliveira
 
Rodrigo Oliveira é chef dos restaurantes Mocotó e Esquina Mocotó na capital paulistana. Um dos nomes mais destacados em sua área, Rodrigo chama a atenção dos mais variados setores do negócio, no Brasil e no mundo, através de sua cozinha simples, inventiva e comprometida com suas origens, no sertão pernambucano. Um dos 100 brasileiros mais influentes, chef do ano,personalidade gastronômica do ano, detentor de vários prêmios, foi lembrado pelo apresentador Anthony Bourdain sentenciou em seu programa sobre o Mocotó: “This is the hottest restaurant in town!”. Carlo Petrini, criador do movimento Slow Food declarou que “o Mocotó deveria ser eleito patrimônio cultural da humanidade”. Seu novo restaurante, o Esquina Mocotó, em seu primeiro ano já foi premiado como o melhor restaurante novo da cidade, recebeu uma estrela pelo Guia Michelin em 2016, além de diversos outros prêmios.
 
 
Sobre a pizzaria Graça di Napolli
 
A Graça di Napolli, pizzaria localizada em Santana, zona norte de São Paulo, inaugurada em junho de 2014, e que já faturou o prêmio de melhor pizzaria da cidade, segundo o júri da premiação Comer & Beber, de 2014, da Veja São Paulo, e melhor pizzaria do Brasil, pelo Prêmio Gula 2015, um dos principais rankings de gastronomia do país. O nome é uma homenagem à matriarca da família dos sócios, a napolitana Dona Graça, e também à Napoli, considerada o berço mundial da pizza. Grafada, no caso da nova casa, com dois “l”, “Napolli”, por uma superstição dos sócios. O consultor do cardápio de lançamento da casa foi um expert no assunto, o paulistano Sudário Silva, eleito o melhor pizzaiolo do Brasil e considerado um dos melhores do mundo. Vencedor do campeonato brasileiro, ele já representou o país no Campeonato Mundial de Pizzas.
Formou-se pela Associazione Verace Pizza Napoletana, em Nápoles, e lá descobriu que o segredo de uma boa pizza é a equação harmônica entre visual, aroma e sabor. Para isso, o diferencial é a massa, de preparo artesanal, com fermentação natural e vários dias de descanso. Um dos atrativos são pizzas com ingredientes inusitados como alho negro, geleia de vinho Malbec, alcachofra e legumes conservados em temperos especiais. Seleção cuidadosa para aguçar os sentidos. A casa conta, ainda, com cartas especiais de cervejas artesanais e azeites, que harmonizam com as pizzas. E com a massa finíssima, em receita mantida a sete chaves pelo chef, difícil vai ser comer um só pedaço.
 
Graça di Napolli
 
Vá e comprove, eu adorei!

FIGO RESTAURANTE * VILA NOVA CONCEIÇÃO/SP

por Luis Guilherme Zenga.

03/09/2017 17:54:00
 
O Figo Restaurante, é uma casa que vale muito a pena conhecer na Vila Nova Conceição, bairro nobre de São Paulo. Pertence a restauratrice Maria Fernanda La Regina que recentemente mudou de chef e entregou a cozinha para o Chef Gerson Campelo, que também assina a cozinha de sua outra casa, o Silo Restaurante, que fica ao lado na mesma rua.
 
Fui convidado para a degustação do novo cardápio, fiquei perplexo com a qualidade da comida e a criatividade do chef Campelo que eu já havia experimentado a sua culinária em sua outra casa e a proposta dos dois restaurantes são totalmente diferentes.  
 
Nesta casa a inspiração veio do “Figo” que na verdade dá o nome ao restaurante e é uma de minhas frutas prediletas. Eu adoro figo e você participar de uma degustação onde todos os pratos tem o figo em evidência é o máximo!
 
figo.jpgfigo1.jpg
 
Iniciamos a degustação com o cuvert da casa que é delicioso e acompanha muito bem um espumante. Já a entrada principal o chef nos surpreendeu com uma Terrine de berinjela com figo caramelado e aspargos - estava perfeita, uma maciez extraordinária e a beleza do prato surpreendente. Na sequência, o Camarão grelhado com risoto de figo – Muito bom, a consistência destes camarões grelhados levemente e a combinação com figo ficou incrível. Eu adoro camarões e a forma que o chefe apresentou este prato é digno de uma obra de arte. Finalizamos com o Figo banhado no brigadeiro com recheio de ganache de pistache - Suave, nada doce, e a harmonia do prato perfeita. Realmente esse chef é muito bom, faz uma excelente comida e a apresentação dos pratos sempre impecáveis.
 
figo2.jpgfigo3.jpg
figo4.jpg
 
O almoço foi harmonizado com  VINHO TINTO HEARTLAND SPICE TRADER SHIRAZ-CABERNET SAUVIGNON 2014/750 ML - As duas maiores uvas da Austrália combinaram-se neste lançamento da Heartland. Feito por ninguém menos do que Ben Glaetzer, um dos enólogos australianos mais renomados, mostra a típica expressão dos tintos do país da Oceania. Não é preciso aproximar o nariz da taça para sentir a enxurrada de frutas silvestres: groselhas, amoras e mirtilos se destacam, ganhando toques sutis de especiarias quentes. No paladar, as frutas ficam ainda mais intensas, ganhando um toque de dulçor de compota muito agradável.
 
FIGO RESTAURANTE
 
Vá e comprove, eu adorei!

RESTAURANTE PISCO * CULINÁRIA PERUANA EM SP

por Luci Sciascia.

03/09/2017 17:36:00
 
O Restaurante Pisco de culinária peruana instalou-se nos Jardins em São Paulo. Elegante, imponente, com uma decoração charmosíssima com detalhes únicos e especiais da cultura peruana. Você tem a sensação de estar almoçando ou, jantando em Lima nos restaurantes lindos da cidade. Os paulistanos estão felizes com mais um restaurante fazendo parte do portfólio de nossa cidade. 
 
pisco.jpgpisco1.jpg
 
O restaurante Pisco foi  inaugurado neste mês de julho e justamente na data em que comemora-se a Independência do Peru. Mais do que um local ideal para saborear as delícias da gastronomia peruana, o espaço nasce com o intuito de promover no Brasil toda a riqueza cultural do país vizinho.
 
Segundo informações e curiosidades, o nome Pisco – é uma homenagem ao porto de Pisco – que prosperou por conta dos vinhedos e intitulou a típica bebida peruana e é também o significado de pássaro, no idioma quechua (incas). Muito bacana né! 
 
O restaurante não é muito grande e sim, no tamanho certo para a localização, é muito bonito e agradável. São 350 metros quadrados e com capacidade para atender 80 pessoas. 
 
O projeto arquitetônico foi assinado pelo brasileiro Marcelo Ramos e o conceito completo de design,cuidadosamente pensado pelo renomado artista peruano Adrian Ilave, que usou como base a decoração do Sul do Peru, onde fica a cidade de Pisco. 
 
No restaurante você se depara com detalhes únicos e especiais da cultura peruana. Desde as cores quentes, lembrando o barro, a madeira rústica, texturas, mobília e a iluminação perfeita. Tudo muito integrado enriquecendo a simbologia da cultura litorânea do Peru. 
 
As diversas intervenções artísticas e culturais do país estão presentes em diferentes cantos da casa, entre elas chamam a atenção: um painel com as cores do pôr do sol - homenagem aos tradicionais tecidos de Paracas; uma divisória trabalhada em madeira - que teve como inspiração o complexo arqueológico Inca de Tambo Colorado; e as pedras nas paredes da varanda - referência às tumbas milenares das múmias Paracas.
 
Já a varanda é muito aconchegante, para um happy hour o lugar é perfeito. O espaço remete ao pier da praia de Paracas e a cor escolhida para o ambiente foi o  rosa colonial, inspirado em uma antiga fazenda espanhola do local.
 
Na parte interna, o restaurante se divide entre bar, salão e uma área ao ar livre, que juntos acomodam 62 pessoas sentadas. Para promover ainda mais a cena cultural do Peru, o Pisco deve receber uma programação esporádica com exposições, shows intimistas, entre outras atrações. Aguarde!
 
A Gastronomia
 
pisco2.jpg
pisco3.jpgpisco4.jpg
 
Não poderia ser diferente, nada melhor que lembrar o País com a bebida e a comida que o representam mundialmente. Portanto, a bebida pisco e o ceviche - famoso prato da culinária do Peru baseado em peixe branco cru e marinado em suco de limão - são os carros-chefes do restaurante.      
 
O Chef
 
A cozinha está sob o comando do chef peruano Oscar Vásquez-Solis. O cardápio tem como diferencial a apresentação da original  “Cozinha de Raiz” com ceviche norteño, cóctel de camarões, causa de cangrejo, leche de ligre e lomo saltado, entre eles.
No bar, como não poderia deixar de ser, a tradicional bebida pisco que já faz muito sucesso. Entre as versões que ganharam destaque estão o Pisco Sours (coquetel), Lagunillas e Chinchivi.
 
A inauguração do Restaurante Pisco é resultado do sonho, paixão e obstinação de Oscar Vásquez-Solis e do sócio dele, Alfredo Kong. Há sete anos em São Paulo, Oscar - que também já atuou como chef durante nove  anos na Flórida (EUA) - firmou-se como expoente na divulgação da cultura peruana no Brasil; tanto é assim que recebeu o título do governo do Peru como o "Homem do ano de 2012", considerado o mais destacado divulgador da cultura peruana no exterior.
Atualmente o chef é assessor do Consulado do Peru para temas gastronômicos e culturais. É também o criador da Expoceviche, evento multicultural-gastronômico peruano que já contou com quatro edições em São Paulo e uma no Rio de Janeiro. Crítico gastronômico premiado (vencedor do "Miradas", prêmio concedido a personalidades da gastronomia peruana ao redor do mundo), ele também é parceiro do autor brasileiro de novelas Walcyr Carrasco (embaixador da gastronomia peruana no Brasil) na empresa “Culinária Peruana”, que desenvolve vídeos sobre a gastronomia peruana.
 
Eu estive conhecendo a casa e degustando as delicias do cardápio apresentado pelo chef Oscar Vásquez-Solis e fiquei perplexo com a qualidade e apresentação dos pratos. Foi servido uma entrada deliciosa, um prato que representa bem a culinária peruana. O ceviche, o milho bem evidente compondo o prato e a Causa que é um prato peruano muito muito conhecido e estava muito bem feita, o purê integrando o recheio de forma tão suave que acredito ter sido uma das melhores que provei desta culinária. Na sequência o Lomo Saltado – como comentei com o chef é um dos pratos mais pedidos no Brasil. Assemelha-se bastante com nosso picadinho com legumes e carne. Lógico que de forma diferente! Estava delicioso! 
As sobremesas são sempre exóticas e diferentes. Um doce delicioso que parece mais o cannoli recheado de doce de leite e o famoso Alfajor Peruano que é delicioso!
 
Restaurante Pisco 
 
Vá e comprove, eu adorei!

SILO FORNERIA & BAR * VILA NOVA CONCEIÇÃO / SP

por Luis Guilherme Zenga.

03/09/2017 17:16:00
 
O Silo Forneria & Bar, que pertence a Maria Fernanda La Regina, é uma das casas mais charmosas e elegantes do bairro da Vila Nova Conceição. Despretensiosa e com muito aconchego oferece comida boa e de qualidade. A grande novidade é que a casa está com novo chef Gerson Campelo que tem passagem por outros locais que fazem parte do roteiro gastronômico.
 
silo.jpg
 
O Silo foi inaugurado em março de 2016 e a cada dia mostra que veio pra ficar com um cardápio que oferece comidas deliciosas, reunindo receitas simples, feitas com ingredientes frescos. O destaque fica por conta de pratos que são preparados no forno a lenha que ressalta o sabor dos alimentos. O ambiente é descontraído, contemporâneo e muito aconchegante. 
 
Você poderá encontrar no restaurante, entre as novidades o Risoto de polvo com linguiça artesanal e cebola roxa, a Cotoletta suína à milanesa com salada de tomate e rúcula, a Paleta de cordeiro no forno a lenha ao próprio molho com legumes grelhados e o Peixe assado no forno a lenha com ervas, espinafre, mini-batata e tomate cereja.
 
silo2.jpg
silo1.jpgsilo3.jpg
 
 
Eu estive degustando o novo cardápio do Silo e confesso que fiquei confuso na escolha com tantas opções tentadoras. Iniciamos a degustação com os pasteizinhos de Shitake com queijo gruyère, deliciosos! Também foi oferecido Pizzette de burrata, tomate e manjericão e Pizzette de calabresa, com espinafre, parmesão e cebola roxa. Ambas deliciosas, a massa fininha e saborosíssima dando harmonia e compondo muito bem sabor das Pizzettes. E não poderia faltar a famosa costelinha do restaurante. Costelinha de porco assada no forno a lenha marinada na cachaça e mel. Vocês não fazem ideia de quanto é bom essa costelinha. Sai do osso com o garfo, de uma maciez única e você vê que tem trabalho de mais de três horas de forno pra chegar a essa consistência. Incrível, adorei!
 
Bom, já o prato principal, minha opção foi Entrecôte grelhado ao molho de cogumelos com purê de batata e rúcula. Muito bom, a consistência da carne no ponto certo e tanto o purê quanto a rúcula compõe muito bem o prato. É delicioso, bem servido e achei a combinação dos ingredientes perfeita!
 
silo4.jpg
 
Finalizei com uma sobremesa que no prato está mais pra uma obra de arte. Crepe de cacau com doce de leite e sorvete de tapioca – Muito bom também, nada muito doce e diferente. Vale experimentar!
 
Silo – Rua Diogo Jácome, 360 – Vila Nova Conceição - São Paulo
 
Vá e comprove, eu adorei!